2014mai17 - 14h Protudor de Hortaliças Familia Frohlic em santa maria do Herval RS. Foto Albino OliveiraMDA
2014mai17 - 14h Protudor de Hortaliças Familia Frohlic em santa maria do Herval RS. Foto Albino OliveiraMDA

A importância da meteorologia para a agricultura de Rondônia

Nesta sexta-feira (23) é o Dia Mundial da Meteorologia, e em Rondônia, desde 2006 o meteorologista Fábio Saraiva trabalha no setor, dentro da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Ambiental (Sedam), com resultados que influenciam em todo o processo de produção da agricultura do estado.

A técnica é responsável por analisar e prever as variações climáticas a partir do recolhimento de informações sobre a umidade do ar, pressão atmosférica, temperatura do ar, volume da chuva, traça previsões das condições do clima em diferentes regiões.

Fábio diz que, apesar da Lei 6.835 só ter sido promulgada em 14 de outubro de 1980 regulamentando a profissão no Brasil (data em que se comemora o Dia do Meteorologista), em Rondônia a técnica já era desenvolvida desde 1928.

“Temos um histórico graças a esses estudos, que na época eram feitos pelo Instituto Nacional de Meteorologia, ligado ao Ministério da Agricultura, através das estações que medindo tempo e clima nos aeroportos.

Somente em 1985, com o zoneamento socioeconômico estadual, o Planaflora, foi que tivemos a instalação de uma rede de estações meteorológicas instaladas pelo estado.

Quem impulsionou isso, à época, foi Marcelo Gama, o primeiro meteorologista em Rondônia, e que embarcou nesse projeto”, conta Saraiva.

O que antes eram apenas dados, em Rondônia a técnica evoluiu e foi o primeiro estado a ter uma rede de estações meteorológicas, criando informações que alimentam o Ministério da Agricultura para o zoneamento de risco e mapa do estado. “Essas informações auxiliam nos períodos de plantio das culturas.

Nós temos a rede, a tabulação desses dados, as informações são disponibilizadas para o Ministério da Agricultura, o que eles juntam aos estudos de solos e culturas para fazer o zoneamento”, completa o profissional.

Com o histórico de dados e informações, foi criada a Sala de Situação de Monitoramento de Eventos Hidrológicos e Hidrometeorológicos, com a parceria da Agência Nacional de Águas (ANA), quando em 2014, aconteceu a maior enchente do Rio Madeira de todos os tempos.

“Nessa sala de situação monitoramos os eventos hidrometeorológicos críticos, como grandes enchentes, grandes precipitações, e dar o alertas que, inclusive, dão embasamento à Defesa Civil sobre as áreas de risco.

Toda semana enviamos a todos os envolvidos de três a quatro boletins que dão conta dessas informações para que cada organismo faça o seu papel”, conclui o meteorologista.

O Dia Mundial da Meteorologia é alusivo à data de criação da Organização Meteorológica Mundial (OMM), instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU), como agência responsável pela parameteorologia de tempo, clima, hidrologia operacional e ciências geofísicas, facilitando a cooperação mundial em determinados eventos climáticos, fornecendo dados climáticos de todo o mundo.

Fonte: Vanessa Farias