Capacitação do Senar/Faperon traz novas expectativas aos índios da aldeia Paygap

A comunidade localizada na Linha 074 foi capacitada na fabricação de farinha de mandioca.

Com um curso de 40 horas de duração, 15 moradores da comunidade aldeia Paygap no município de Ji-Paraná foram capacitados com o curso de fabricação de farinha de mandioca. A qualificação foi coordenada pelo instrutor do Senar a 22 anos, Iracio Negão.

O trabalho de qualificação dos índios Karo Arara foi mais uma iniciativa do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) com o objetivo de promover a valorização do homem que atua junto a produção primaria, ensinando técnicas para o cultivo e melhor aproveitamento do produto.

Através do curso de fabricação da farinha a partir do cultivo da mandioca, os moradores da comunidade Paygap foram qualificados a produzirem a farinha de qualidade com melhor aproveitamento da mandioca. Consequentemente vindo agregar valor ao seu produto final.

O líder da comunidade, cacique Pedro Arara incentivou os parentes a participarem do curso e conhecer as novas técnicas na produção da farinha que é tradição na comunidade. Cacique Pedro agradeceu ao instrutor Iracio por passar o seu conhecimento a comunidade.

As lideranças agradeceram a presença do Senar com a capacitação que irá valorizar o trabalho dos parentes que a partir de agora poderão comercializar o seu produto junto aos comércios locais e assim agregar uma renda extra para as famílias da comunidade.

O curso de fabricação de farinha na comunidade indígena Paygap dos índios Karo Arara foi coordenado pelo Senar/Faperon em parceria com o Instituto Etnoambiental Kanindé onde foram capacitados 15 indígenas com técnicas de fabricação de farinha a partir da mandioca.

Curso de Fabricação de Farinha na Comunidade Paygap

Autor: Luizinho Carvalho/Sociólogo

Fotos: Iracio/ Senar