20180511_152638

Deputado Anderson e o secretário Adriano Castro se reúnem com familiares de apenados

Durante o encontro o parlamentar solicitou uma definição do governo para a situação local.

A reunião de trabalho aconteceu na tarde da sexta-feira (11) nas dependências da antiga cadeia pública de Espigão que foi desativada pela Sejus.

Estiveram presentes o deputado Anderson do Singeperon (PROS), secretário estadual de justiça, Adriano Castro, presidente da câmara, Zonga, vereadores, agentes penitenciários e familiares de apenados.

32293560_196031614541938_3349965780962770944_n

Familiares deram depoimentos dos constrangimentos que estão enfrentando com a desativação do presidio e o remanejamento dos detentos para outras comarcas.

“Nós como familiares sofremos com o deslocamento para outras cidades para fazerem as visitas aos parentes detentos”, afirmou uma mãe de preso.

32332351_196031721208594_8810550019565289472_n

Ao fazer o uso da palavra o deputado Anderson do Singeperon que tem suas origens na categoria de agentes penitenciários se colocou à disposição tanto da categoria como dos familiares dos detentos e também do secretário da Sejus para apoiar as iniciativas a serem tomadas.

“Como deputado estou à disposição para dentro da legalidade apoiar as iniciativas do governo para uma solução abreviada dessa situação”.

Segundo Anderson se a opção for pela reforma ele se coloca à disposição para buscar os recursos via emenda parlamentar para a execução dos trabalhos.

20180511_152619

O secretário Adriano Castro explanou que a situação foi criada pelo governo anterior e que a partir de agora ele irá tomar conhecimento das problemáticas e buscar uma solução junto ao atual governo.

“Quero agradecer a parceria do deputado Anderson que desde já se coloca à disposição para contribuir nessa situação.

Ao final Anderson do Singeperon solicitou ao secretário Adriano de Castro um prazo para uma resposta definitiva da situação do presidio local.

“Até em respeito aos familiares dos apenados e aos agentes que trabalhavam no local seria viável a definição de um prazo para uma resposta final”, solicitou Anderson.

Autor: Luizinho Carvalho/Assessoria/Parlamentar