26-06-18-hqlqpy6e4ai31oh

Equipe da Sedam apreende mais de 500 metros de madeira extraída ilegalmente

A madeira está sendo calculada por fiscais da Sedam dentro da unidade de conservação

Equipe do Programa de Monitoramento de Biodiversidade da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam) foi até a Reserva Extrativista Rio Preto Jacundá, no início deste mês, para fazer abertura de trilha.

Na ação, uma das equipes percebeu a presença de “toreiros” com maquinários e toras de madeira extraída ilegalmente. Mais de 500 metros cúbicos de madeira foram extraídos da área. “No mesmo momento, os servidores saíram da floresta por questão de segurança.

Em seguida foram até a nossa base no alojamento, onde acionamos a Polícia Ambiental de Machadinho D’Oeste, e comunicamos os nossos superiores em Porto Velho.

A polícia registrou a ocorrência e realizou as prisões”, conta a engenheira florestal Sebastiana Almeida, diretora de Unidade de Conservação do Uso Sustentável.

A Resex Rio Preto Jacundá está localizada nos municípios de Cujubim e Machadinho D’oeste, sendo 75% dentro da última cidade, com melhor acesso à área de 95.300 hectares, onde 24 famílias mantem residência autorizada, usufruindo da caça e da pesca para subsistência.

O roubo aconteceu próximo à comunidade Jatuarana. “A área é destinada ao manejo florestal. Nós teremos o apoio do pessoal do Departamento de Estradas, Rodagens, Infraestrutura e Serviços Públicos (DER) para nos dar o suporte com a retirada da madeira e, atualmente, os nossos fiscais estão no local calculando o volume e o prejuízo ambiental causado pela ação criminosa”.

Fonte: Vanessa Farias